Cedro Mineração

Notícias Cedro

Vale do Sol vai ganhar obra reivindicada há décadas – jornalbelvedere.com.br

PUBLICADO QUARTA, 12 MAI 2021 12:52

Acordo entre Prefeitura de Nova Lima, Associação de Proprietários e Moradores do Vale do Sol (Aprevs) e da Extrativa Mineral/Cedro Mineração vai possibilitar a construção de um canal, o túnel-bala, que, terá a função de captar a água da chuva que cai no córrego e inunda as ruas do bairro.

A Administração Municipal continua com o diálogo com a comunidade nova-limense a fim de ouvir as necessidades e encontrar, juntas, soluções para o bem comum. Fruto disso é que, no último dia 3 de abril, o prefeito João Marcelo Dieguez recebeu em seu gabinete representantes da Associação de Proprietários e Moradores do Vale do Sol (Aprevs) e da Extrativa Mineral/Cedro Mineração, empresa que atua em projetos minerários na região Noroeste, quando foi assinado um acordo de cooperação para o início imediato de obras no córrego sob a Quinta Avenida, no Vale do Sol, para solucionar problemas de drenagem pluvial.

Revitalização da Rotatória

Agora, a Prefeitura de Nova, a Associação de Moradores e da Extrativa Mineral/Cedro Mineração assinaram um acordo para execução das obras reivindicadas pela comunidade. O trabalho da Associação de Moradores do Vale Sol já resultou na execução do projeto de revitalização da Praça da Rotatória, no final do ano passado, quando a entrada do bairro foi  contemplada com a construção com alguns elementos urbanísticos como pista de caminhada com pavimentação em pedra, jardins e paisagismo com forração em grama e plantas ornamentais, arborização com Embaúvas, instalação com raízes e toras de madeira sobre lastro de brita e pedra de minério, infraestrutura de irrigação e iluminação de efeito.

Para Haroldo Meirelles, o acordo e urbanização da rotatória foram grandes conquistas para a comunidade, mas ressalta que a reivindicação mais importante é a pavimentação de todas as ruas com o pavieco, material indicado em razão de não comprometer o lençol freático.

Túnel-bala

O acordo prevê a execução de obras com alocação de recurso no valor de R$ 1,1 milhão: a construção de um canal, popularmente conhecido como túnel-bala, com 30 metros de comprimento, 3,0 metros de largura e 2,80 metros de altura, terá a função de captar a água da chuva que cai no córrego; já  no cruzamento da Avenida Terra com a Quinta Avenida, principal via do bairro, serão colocadas aduelas de 3,0 metros de diâmetro para garantir o escoamento correto em uma passagem em nível sob a Quinta Avenida, com a função também de deixar água fluir livremente sem acumular nas ruas do bairro. A previsão de início dos trabalhos é de 20 dias.

Essas serão as primeiras de um conjunto de obras previstas e que farão a diferença na vida dos moradores já que, em época de chuva, o córrego, onde serão realizadas as intervenções, enche e transborda, causando inundações nas vias.

O que cabe a cada uma das partes

A Prefeitura elaborou os projetos executivos e as planilhas de custos e orçamentos e fará a fiscalização das obras. Já a Aprevs abriu mão do direito de receber parte da verba da Extrativa Mineral / Cedro Mineração e fará o acompanhamento das obras. A empresa, por sua vez, entra com a alocação de recursos que seriam destinados necessariamente a investimentos no Vale do Sol.

Impactos

Este projeto reivindicado pelos moradores do Vale do Sol foi divulgado pelo JORNAL BELVEDERE na edição do dia 25 de abril do ano passado, quando os representantes da Associação de Moradores do Vale do Sol expuseram os problemas.
Na época, a diretoria da Associação dos Moradores do Vale do Sol anunciou o avanço das negociações e a celebração da parceria com a empresa Cedro Extrativa. Com o avanço da extração de minério em todo o Estado, notadamente na região onde a empresa mantém suas plantas de operação, o fluxo de carretas de minério utilizando a via marginal da BR-040, conhecida por mão inglesa, aumentou significativamente. O movimento desses caminhões e a poeira deixada por eles levaram os moradores a exigir ações compensatórias para atenuar os problemas causados. O que era um impacto socioambiental acabou se tornando em um acordo de cooperação e emparceiramento para a realização de obras mitigatórias que compreendem construção de rotatória, instalação de sistema de segurança e pavimentação de vias.
O presidente da APREVS, Haroldo Meirelles, explicou na época ao JORNAL BELVEDERE que com o desastre em Brumadinho o Ministério Público recomendou a paralisação da esteira que transporta minério da Minas de Tamanduá para o Complexo Paraopeba, como medida preventiva por causa das barragens. E que desde então o tráfego de caminhões aumentou muito para compensar o processo de escoamento. O impacto no Vale do Sol foi significativo, pois o aumento da circulação de caminhões, a lama que escorria para a Quinta Avenida e alguns alojamentos que se formaram no local, o que poderia ocasionar uma sobrecarga na saúde, uma vez que o Vale do Sol não possui saneamento básico até hoje.

https://www.jornalbelvedere.com.br/index.php/estilo/cidade/item/1909-vale-do-sol-vai-ganhar-obra-reivindicada-ha-decadas

Prefeitura anuncia obras para drenagem pluvial no Vale do Sol – semprenovalima.com

Mineradora Cedro será a credora da obra em parceria com Associação do Bairro.

4/5/2021 – da redação

O prefeito João Marcelo (Cidadania) anunciou nesta segunda-feira, dia 3, o início de um conjunto de obras para o Bairro Vale do Sol, na região Noroeste da cidade. O local sofre com a falta de drenagem pluvial que se agrava em tempo chuvoso.

Segundo o mandatário, a construção de um túnel e desobstrução de passagens inferiores de água pluvial sob a Quinta Avenida, rua importante do bairro, será feito através de parceria com a mineradora Cedro, que atua na região através da Associação dos Proprietários e Moradores do Vale do Sol e com isso deve amenizar os impactos negativos da chuva.

No início do ano, diversas ruas do bairro sofreram com alagamentos. Na postagem, JM anunciou que mais obras estão nos planos do Executivo Municipal e devem “transformar a realidade da região”.

https://semprenovalima.com/2021/05/prefeitura-anuncia-obras-para-drenagem-pluvial-no-vale-do-sol/

Grupo Cedro – otempo.com.br

Coluna Minas S/A, por Helenice Laguardia – 26/04/21

O empresário Lucas Kallas, diretor do Grupo Cedro, se juntou a outros nomes de peso que compõem o Conselho Estratégico da FIEMG na iniciativa de unir forças contra a Covid-19. O Grupo Cedro – que atua nas áreas de mineração, agronegócios, energia e imobiliário – fez mais uma doação de R$ 200 mil para auxiliar na aquisição de equipamentos e materiais para o combate à pandemia e também para a logística de vacinação. “Precisamos nos unir para preservar vidas e fazer o Brasil retomar seu rumo de crescimento”, diz Kallas, que no ano passado já havia doado, por meio do Grupo Cedro, R$ 1 milhão para a compra de respiradores.

https://www.otempo.com.br/opiniao/minas-s-a/hospital-vila-da-serra-1.2477092

Empresariado se une para agilizar imunização no Brasil – otempo.com.br

Todos os brasileiros vacinados contra a Covid-19 até setembro deste ano. O que para muitos pode parecer um sonho é meta para mais de 400 empresários brasileiros

Por O Tempo | Cinthya Oliveira e Gabriel Rodrigues – Belo Horizonte 23/3/21 20h53

Vacinação volante foi adotada em Nova Lima com a ajuda do movimento Unidos pela Vacina | Foto: Uarlen Valerio

Todos os brasileiros vacinados contra a Covid-19 até setembro deste ano. O que para muitos pode parecer um sonho é meta para mais de 400 empresários brasileiros. Esse é o grande objetivo traçado pelo movimento Unidos pela Vacina, liderado pela empresária Luiza Trajano e pelo Grupo Mulheres do Brasil. A iniciativa visa encontrar soluções para possíveis problemas enfrentados pelos municípios para que o Plano Nacional de Imunização (PNI) possa ser implementado de maneira ágil e eficaz.

Em Minas Gerais, até o momento, mais de 140 empresas já aderiram ao movimento. Cada uma delas espera contribuir de alguma forma com infraestrutura e logística, para que as vacinas cheguem da melhor maneira até toda a população – especialmente para quem vive nos municípios menores ou mais longínquos.

A intenção do movimento não é comprar vacinas, mas ajudar o Ministério da Saúde na implementação do PNI. Até o momento, 11,2 milhões de brasileiros já receberam a primeira dose do imunizante no país, o equivalente a 5,3% da população brasileira. Em Minas, pouco mais de 1 milhão de pessoas foram vacinadas com uma dose – 5% dos mais de 20,87 milhões de habitantes do Estado.

A empresária Betânia Tanure, da Betania Tanure Associados, uma das líderes do Grupo Mulheres do Brasil, reforça que a intenção do movimento não é comprar vacinas. “Apesar de o Brasil ter muita competência instalada em todo o país para vacinações, essa atual imunização tem características diferentes. Não podemos colocar muitas pessoas dentro de um posto de saúde, sem distanciamento, conforme fazíamos antes”, explica.

Segundo Betânia, o movimento não envolve transferência de dinheiro. Cada empresa atua oferecendo soluções para a demanda local e pode doar insumos, oferecer mão de obra ou algum tipo de serviço. “Temos que buscar todas as condições para atingir a meta de vacinar a população até setembro, porque a situação está muito grave. A economia não será retomada sem vacinas”, diz.

“Nosso movimento não quer procurar culpados, é apartidário e não tem interesse comercial. Agimos para mais rapidamente mudar o rumo dessa tragédia”, afirma.

O Grupo Sada é uma das empresas mineiras que abraçaram o desafio de colaborar para a imunização de todos os brasileiros. “A vacina é a única solução que temos para conseguir superar essa pandemia e poder voltar a ter uma normalidade nas empresas, nos comércios, nas vidas das pessoas”, afirma Marina Medioli, vice-presidente do grupo.

A intenção da Sada é contribuir para o movimento Unidos pela Vacina com a divulgação de informações de qualidade, por meio de suas empresas de comunicação – jornais e Super Notícia, portal O Tempo e rádio Super 91,7 FM –, e oferecer soluções para municípios conforme o mapeamento dos gargalos.

“O grupo tem muitas empresas, está presente em vários municípios de diferentes Estados, e poderemos ajudar de diferentes formas. Com as empresas de comunicação, podemos ajudar a enfrentar as fake news e a incentivar a população a se vacinar”, completa. “Nessa corrida pela vida, contra essa pandemia sem precedentes, cada minuto importa. Não estamos medindo esforços para que possamos concretizar nosso objetivo de tornar viável a vacinação para cada brasileiro deste país até setembro e colocar fim a essa situação tão dolorosa para nós e para o mundo”, afirma Luiza Trajano.

“Ajuda do setor privado vem em boa hora’, avaliam pesquisadores

Para pesquisadores, o auxílio do setor privado na corrida pela vacinação dos brasileiros vem em boa hora. “Nas primeiras campanhas de vacinação oral contra poliomielite, houve grande participação de empresas, que cediam carro, motorista, ajudavam na rede de frios, a organizar filas etc. Na década de 80, isso era frequente, mas depois essa participação foi reduzida. Ajudar no transporte e a montar postos volantes, por exemplo, é um apoio importante”, analisa o imunologista José Cássio de Moraes, que participou de estratégias de vacinação nacional durante quase cinco décadas.

“Grupos que queriam comprar vacina para imunizar funcionários estavam concorrendo com o SUS, mas o Unidos pela Vacina está colaborando com o SUS”, avalia o pesquisador. Kenya Noronha, professora do Centro de Desenvolvimento e Planejamento Regional (Cedeplar), da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), avalia que as diferenças entre as regiões do Brasil e o que chama de “fragilidade da gestão do governo federal” abrem as portas para a iniciativa privada.

“Nem todos os municípios têm condições de armazenar as vacinas de forma adequada, dependendo do imunizante que chegar, por exemplo. Vejo com bons olhos a participação de empresas nesse sentido, porque qualquer ajuda neste momento é bem-vinda, e elas não estão vindo para concorrer com o SUS”, diz Kenya.

Engajamento

“Estamos tendo grande engajamento dos empresários mineiros, com vontade genuína de ajudar nesse processo, no qual toda a sociedade se beneficiará”, diz o CEO da construtora MRV, Rafael Menin, coordenador do Unidos pela Vacina em Minas.

https://www.otempo.com.br/cidades/empresariado-se-une-para-agilizar-imunizacao-no-brasil-1.2463383

Microchips vão monitorar animais em cidades da Grande BH – noticias.r7.com

Dispositivos serão colocados sob a pele de cães, gatos e cavalos de moradores que vivem em situação de vulnerabilidade social

Por R7 | Pablo Nascimento – Belo Horizonte 8/3/2021 18h38

O Governo de Minas Gerais vai usar microchips para monitorar cães, gatos e cavalos em cidades da região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a Semad (Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável), a ideia é usar os equipamentos para garantir políticas de manejo populacional dos cães e gatos de forma ética. No caso dos equídeos, serão monitorados aqueles usados para tração de carroças no meio urbano. O projeto vai dar prioridade aos donos de animais que vivem em situação de vulnerabilidade social.

Os dispositivos são do tamanho de um grão de arroz e fabricados com um tipo de vidro biocompatível, que não causa alergia ao ser colocado sob a pele dos pets. Ele carrega um código que vai armazenar a identificação e todas as informações referentes ao animal.

“Esse sistema é uma forma moderna e segura de manter os animais identificados. O microchip tem tripla função: é uma ferramenta importante para localizar animais perdidos; possibilita o registro de animais perante os órgãos públicos, viabilizando o planejamento da gestão e manejo de fauna e também é útil para relacionar animais encontrados em situação de maus tratos ou abandono ao responsável, viabilizando as ações de fiscalização”, destacou a Semad em nota.

Os microchips serão doados pela Cedro Mineração, como parte do TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) que legaliza a operação da empresa em uma mina em Nova Lima, na Grande BH.

O documento prevê que todas as cidades que sejam impactadas pelo trabalho da companhia, bem como pelo trânsito provocado por ele, sejam beneficiadas com os quase 50 mil microchips. O número de municípios que receberão os dispositivos ainda é calculado.

Dez leitores de chips também foram doados pela firma como parte do acordo. A negociação é a mesma que garantiu a construção de uma rotatória em Nova Lima.

“Em outras frentes não menos importantes como cultura, lazer, esporte, saúde e educação a empresa já investiu outros R$ 5 milhões por meio de leis de incentivo. A empresa se destaca também na geração de emprego e renda: são mais de 800 postos diretos de trabalho e outros mais de mil indiretos”, indicou comunicado da mineradora.

https://noticias.r7.com/minas-gerais/microchips-vao-monitorar-animais-em-cidades-da-grande-bh-08032021

‘Música no Hospital’: projeto realiza show em homenagem ao Dia Internacional da Mulher – hojemedia.com.br

Por Hoje em Dia – Belo Horizonte 5/3/2021 19h30

A música da cantora, compositora e ativista cultural Flávia Ellen vai invadir o jardim do Hospital Luxemburgo, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, na próxima segunda-feira (8), Dia Internacional da Mulher. O show “Dengo”, sem plateia, será transmitido pelas redes sociais, às 10h30.

“A proposta do ‘Música no Hospital’ é contribuir na recuperação dos pacientes e na humanização do ambiente hospitalar. O projeto é destinado para aqueles que estão internados, seus familiares, visitantes e toda a equipe técnica do hospital”, contou Ricardo Matosinho, diretor do Espaço de Cultura e Arte (ECA) que, juntamente com o Instituto Mário Penna, idealiza o evento.

O evento será transmitido pelo Instagram e Facebook do ECA (@ecabh) e do Instituto Mário Penna: Instituto Mário Penna (YouTube e Facebook) e Instagram (@institutomariopenna).

Flávia Ellen estará acompanhada da baixista Larissa Horta e da pianista Glaw Nader. “Dengo é um pedido de aconchego no outro em meio ao duro cotidiano. É um show de acolhimento ao público em um momento tão difícil para todos nós. Com muita música brasileira, feita por mulheres, as artistas vão levar às pessoas letras e melodias bonitas e conhecidas, um carinho no coração”, contou a artista.

No repertório estão canções autorais de Flávia Ellen e outras conhecidas do grande público, como Flerte (Flávia Ellen); Nó (Flávia Ellen/Maíra Baldaia); Beija eu (Marisa Monte/Arnaldo Antunes); e Desculpe o auê (Rita Lee/Roberto de Carvalho), entre outras.

Pandemia

Conforme os organizadores, para atender ao protocolo de segurança referente ao Covid-19, os músicos e a equipe envolvida no projeto usam máscaras e mantêm o distanciamento recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Além disso, a apresentação é realizada em área externa e sem plateia. No local, haverá orientação aos presentes quanto ao protocolo para evitar qualquer aglomeração.

“A ideia é que a música dissemine pelo hospital e que o som cause uma boa surpresa para quem estiver em todo o ambiente hospitalar, trazendo”, explicou Gizelle Mesquita Evangelista, coordenadora do Setor de Humanização e Psicologia Hospitalar do Instituto Mário Penna.

Sobre o Instituto Mário Penna

O Instituto Mário Penna é uma instituição filantrópica de saúde especializada em tratamentos contra o câncer. O Instituto é mantenedor das seguintes unidades: Hospital Luxemburgo, Núcleo de Especialidades Oncológicas, Casa de Apoio Beatriz Ferraz e o Núcleo de Ensino e Pesquisa.

É o maior prestador do SUS em atendimento oncológico de Minas Gerais, atendendo mais de 760 municípios. Foram atendidas mais de 153 mil pacientes no último ano, o que mostra o comprometimento em atender todos que passam pela Instituição com maestria, e cumprindo com sucesso o legado de 49 anos de história.

Doações para a instituição podem ser feitas pelo site mariopenna.org.br ou pelo 0800 039 1441.

O projeto “Música no Hospital” tem o patrocínio da Cedro Mineração e Ibiritermo, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo.

https://www.hojeemdia.com.br/almanaque/m%C3%BAsica-no-hospital-projeto-realiza-show-em-homenagem-ao-dia-internacional-da-mulher-1.827409

Cedro Mineração segue cumprindo todos os compromissos assumidos em novo TAC – em.com.br

A empresa já adquiriu 50 mil microchips e leitores de identificação de microchips para a Semad; comunidades em torno da mineração estão recebendo melhorias

Isabela Bernardes* – 25/02/2021 17:08

Cedro Mineração está cumprindo com os acordos do novo TAC(foto: Reprodução/ Cedro Mineração )

A Cedro Mineração assinou um novo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) no início de 2021 e divulgou, nesta quinta-feira (25/02), que segue cumprindo todos os compromissos assumidos no documento, que visa a adequação de seu empreendimento à legislação ambiental.

A assinatura do documento envolveu a Secretaria de Meio Ambiente, o Ministério Público de Minas Gerais e a Cedro Mineração. Dentre os 27 pontos do TAC, um deles era a doação para a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de 50 mil microchips e leitores de identificação de microchips.

Os dispositivos serão disponibilizados aos municípios afetados diretamente pelo empreendimento da mineradora, para utilização das ações de manejo ético humanitário de animais domésticos.

Além disso, as comunidades no entorno da mineração, em Nova Lima, também estão recebendo apoio, com mais de R$ 10 milhões em melhorias na segurança, cultura, lazer, esporte, saúde e educação. A empresa destacou que já gerou mais de 800 postos diretos de trabalho e outros mil indiretos

*Estagiária sob supervisão do subeditor João Renato Faria

Nova Lima (MG) faz 320 anos de riquezas naturais e culturais – noticias.r7.com

Cidade da Grande BH completa mais de três séculos com destaque nos cenários turístico, gastronômico, cervejeiro e de mineração

São mais de três séculos que contam a história das riquezas naturais e culturais de Nova Lima. A cidade da região metropolitana de Belo Horizonte que já foi Campos de Congonhas, Congonhas das Minas de Ouro, Freguesia de Nossa Senhora do Pilar de Congonhas de Sabará, Villa Nova de Lima até, por fim, receber o nome atual, completa, nesta sexta-feira (3), 320 anos de surgimento e 130 de emancipação política.

O município, com quase 100 mil habitantes, construiu relevância no território nacional pelo destaque nos cenários turístico, gastronômico, cervejeiro, esportivo e cultural. A tranquilidade e natureza do bairro São Sebastião das Águas Claras, mais conhecido como Macacos, atrai turistas e aventureiros de todo o país. Já a região do Jardim Canadá é onde se concentram as fábricas de cerveja artesanal, um convite para os amantes da bebida.

Outra riqueza que eleva a cidade é a mineração. Por muitos anos, Nova Lima viveu da produção de ouro, até que a descoberta da Mina do Morro Velho, em 1720, mudou os rumos da economia e a extração do minério se tornou uma das principais fontes de renda dos moradores do local. É o caso do Deisiano Vieira, de 33 anos, que trabalha há três na área. Mineiro de São Domingos do Prata, a 136 quilômetros de Belo Horizonte, ele saiu da cidade natal em busca de trabalho e foi em Nova Lima, em 2009, que encontrou a oportunidade de ser vigilante de um condomínio. Depois de 11 meses na função, Vieira decidiu se especializar em um antigo sonho.

Vieira trabalha com mineração há três anos – ARQUIVO PESSOAL

— Eu estava insatisfeito como vigilante, porque eu queria progredir e vi que ali não era possível. Trabalhar como mineração sempre foi meu sonho, então fui atrás de um curso que pudesse me ajudar.

Porém, o desemprego fez Vieira adiar os planos. Após três meses sem trabalho, ele conseguiu uma vaga em uma siderúrgica em Contagem, também na Grande BH, onde passou 10 anos até ser demitido. Logo depois, com a ajuda do irmão, distribuiu currículos para três empresas diferentes de extração de minério de Nova Lima e conseguiu uma oportunidade na Cedro Mineração. Hoje, ele atua como auxiliar de mina e estuda para ser promovido na área.

— Sonhei com a mineração, mas fui obrigado a dar um passo para trás por causa do desemprego e acabei na siderurgia. Hoje, estou caminhando gradativamente na Cedro. Sou muito incentivado pela empresa nos estudos para ser promovido. Dando um passo de cada vez, estou quase me formando em técnico de mineração e, posteriormente, sonho em me tornar supervisor.

Assim como Vieira, mais de 850 trabalhadores diretos têm a mineração como forma de sustento. O auxiliar conta que a Mina da Gama, administrada pela Cedro, é parte fundamental da economia e da vida da cidade desde os anos 90.

— A contribuição é fundamental para a cidade, principalmente pela geração de emprego. É o que leva sustento para a família da gente e que nos dá a oportunidade de oferecer uma educação melhor para os nossos filhos.

Além da geração de empregos, a Cedro Mineração tem uma relação estreita com Nova Lima se envolvendo em projetos sociais, culturais e esportivos na região. Em 2020, a empresa destinou R$ 5 milhões para obras de manutenção de vias públicas, reformas de equipamentos urbanos como a rotatória do Vale do Sol, compra de câmeras de segurança e de uma viatura para a Polícia Militar. Outra preocupação da instituição é a atuação ambiental sustentável e o investimento em tecnologia. Atualmente, ela é a única do município que realiza a filtragem de 100% do rejeito de mineração, processo que dispensa a utilização de barragens.

Sobre os 320 anos de Nova Lima, Deisiano Vieira, que já está na cidade há 12 anos, comemora a data como um verdadeiro novalimense e lista os pontos altos da cidade como um convite para os visitantes.

— Nova Lima é uma cidade maravilhosa. Está perto de uma capital, mas preserva as características de interior. O índice de criminalidade é baixo, o clima é uma delícia, as paisagens e a comida são exuberantes. É um lugar maravilhoso de se viver.

https://noticias.r7.com/minas-gerais/nova-lima-mg-faz-320-anos-de-riquezas-naturais-e-culturais-05022021

GINÁSTICO FECHA PARCERIAS PARA A PRÓXIMA TEMPORADA DO BASQUETE – ginastico.com.br

Por Ginástico – Belo Horizonte 22/1/2021

As equipes de competição do clube terão patrocinadores na próxima temporada! O Mart Minas Atacado e Varejo e a Cedro Mineração são os novos apoiadores das equipes de competição do Ginástico. O incentivo no projeto Basquete para Todos, processo 71000.051666/2019-92, é viabilizado pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte, com captação via dedução de Imposto de Renda.

Após aprovação do projeto, o primeiro contrato assinado foi com o Mart Minas, em novembro de 2020, como patrocinador máster. “Ser parceiro de um clube renomado como o Ginástico realmente infla o nosso sentimento de empatia para com os atletas dessa geração, estes que utilizam a estrutura do clube para desenvolver suas habilidades no esporte, refinando sua disciplina e abraçando novos desafios a cada aula recebida”, comenta Filipe Martins, Diretor Comercial e de Marketing.

A empresa, atuante no mercado de atacado e varejo, foi fundada em 2001 e tem o objetivo de oferecer um atendimento diferenciado, preços imbatíveis e uma forte parceria com seus fornecedores. Hoje, com 40 unidades em cidades polo, atende cerca de 550 municípios próximos às regiões onde estas estão inseridas. Entre os mais de 10.000 itens comercializados, estão alimentos perecíveis, não perecíveis, higiene, limpeza, bazar, bomboniere, lácteos e bebidas.

Segundo o diretor, o Mart Minas Atacado e Varejo não atua somente para objetivos comerciais, mas também, buscando desenvolver um trabalho que permita o crescimento e desenvolvimento de uma sociedade mais justa e sustentável. “Esperamos que a união entre o Mart Minas e o Esporte Clube Ginástico promova uma base sólida para a formação de atletas diferenciados que farão muito pelo nosso país, deixando legados que marcarão e influenciarão gerações dentro e fora do meio esportivo”, conclui Filipe Martins.

Já a Cedro Mineração, especializada na extração, beneficiamento e comercialização do minério de ferro, iniciou sua parceria com o clube em dezembro de 2020, se tornando o segundo patrocinador das equipes de basquete.

A Cedro integra o olhar atento para a comunidade, promovendo investimentos sociais, culturais e esportivos, além de ter uma atuação ambientalmente sustentável, que através de pioneirismo e investimentos em tecnologia, passaram a realizar filtragem de 100% do rejeito e a descaracterização da antiga barragem da Mina.

Agora, também passam a investir no basquete do Ginástico, por acreditar que o esporte é uma importante ferramenta de inclusão social. O objetivo é caminhar junto à comunidade, colaborando com a formação de atletas e cidadãos, por meio do esporte.

O PROJETO

Basquete para Todos foi o primeiro projeto sócio esportivo do Ginástico, com captação de recursos públicos. Viabilizado pela Lei Federal de Incentivo ao Esporte, pessoas físicas e jurídicas podem contribuir com a formação de um atleta, gratuitamente, via dedução de Imposto de Renda.

Com o aporte, o projeto tem como objetivos possibilitar aos atletas a participação em competições, custear uniformes e materiais esportivos para a prática do basquete e ainda oferecer transporte para os treinamentos das equipes.

Com o propósito de priorizar sua responsabilidade social, ao democratizar a prática do esporte, o Ginástico segue em busca de melhorar a qualidade de vida dos participantes do projeto, bem como viabilizar o desenvolvimento pleno de crianças e adolescentes com a disseminação de valores positivos.

Ao apoiar o Basquete para Todos, as empresas não apenas incentivam o crescimento do esporte de base, como reafirmam sua importância para o desenvolvimento cidadãos, ao abrir portas para a inclusão de jovens vindos de comunidades com vulnerabilidade social.

Nova Lima ganha nova rotatória na região do Vale do Sol – classificadosdabarra.com.br

Por Classificados da Barra – Belo Horizonte 23/12/2020

A obra foi iniciada em setembro deste ano, e passou por levantamento topográfico, paisagismo, drenagem, irrigação e projeto arquitetônico. Rotatória vai funcionar como entroncamento entre os bairros da região do Vale do Sol e a rodovia BR-040, em Nova Lima. Cedro Mineração / Divulgação Será inaugurada nesta quarta-feira (23) uma nova rotatória, no Vale do Sol, em Nova Lima, que funcionará como entroncamento entre os bairro da região e a rodovia BR-040. O local, durante anos, foi um terreno baldio usado como depósito de entulhos, troncos e raízes secas de velhas árvores e até sucatas de máquinas pesadas. A obra foi iniciada em setembro deste ano, e passou por levantamento topográfico, paisagismo, drenagem, irrigação e projeto arquitetônico. A nova praça, agora concluída, fica na avenida Quinta 108, no Vale do Sol, em Nova Lima. As obras foram feitas pela Cedro Mineração, que também vai doar, nesta quarta, uma nova viatura para a Primeira Companhia da Polícia Militar, que é responsável pelo policiamento dos municípios de Nova Lima, Raposos e Rio Acima. Os vídeos mais vistos no G1 Minas nesta semana:

https://classificadosdabarra.com.br/noticias/noticia/241036/nova-lima-ganha-nova-rotatoria-na-regiao-do-vale-do-sol